quarta-feira, 18 de maio de 2016

Loucura? Imagina!




Acendi o fogo.

Brinquei com o gato.

Senti. Senti a onda, o vento, a fumaça, o amor do gato, a gratidão pela vida, meu corpo, minha respiração, a música. Apenas





senti.

Agora sim, vamos escrever.

Não escrevo sozinha, porque escrevo lembranças. E as melhores lembranças são compartilhadas – ou não – mas essa é.

Estava numa profunda conversa com um amigo sobre loucura. Juramos de pés juntos que não somos loucos. Mas como já dizia o chapeleiro maluco:
“Sim, você é louco, louquinho. Mas vou lhe contar um segredo: as melhores pessoas são assim!”

De acordo com o dicionário informal:
Loucura: Alegria extravagante, insana, desatino, desvario. Ato ou fala que apresente um comportamento que denote falta de juízo ou senso de discernimento. Sensação ou sentimento que foge do controle da razão; Atitude imprudente, insensata;

No meu dicionário estaria escrito assim:
Loucura: Alegria

Quando a pessoa é realmente louca, ela não vê isso como uma ofensa. É um elogio. Quando você chama uma pessoa louca de louca é como se você tivesse dizendo: “Cara, você é totalmente fora dos padrões.” E pra uma pessoa louca, a única coisa importante é ser fora dos padrões.

Ser louco é viver a vida de cabeça pra baixo. É sentir. Ser louco é sentir. Sentir é coisa para loucos. É um dom. Um dos mais lindos.

Um sorriso, já sentiu um sorriso? Só loucos sabem do que eu estou falando.

Sentir a liberdade, sentir a vida, o universo. Loucos tem uma sintonia de outras vidas. Loucos se reconhecem de longe. São ligados por fios prateados e se conectam de tal forma que encanta e contagia a alegria e o amor para todos ao redor.

Pessoas loucas são as pessoas felizes, que levam a vida de um jeito leve e não estão preocupadas com a cotação do dólar ou com qual carro o vizinho tem. Pessoas loucas não querem saber o quanto você sabe, mas sim o quanto você está disposto a aprender. Pessoas loucas surpreendem. Pessoas loucas sabem que a vida foi feita para viver. Pessoas loucas sabem que chorar e se lamentar por isso ou aquilo é perda de tempo. Pessoas loucas sabem se conectar com o universo. Pessoas loucas sabem o poder que tem. Pessoas loucas sabem sorrir. Pessoas loucas sabem o que é gratidão. Pessoas loucas sabem o que é amor próprio. 

Pessoas normais passam despercebidas, na maioria das vezes. Porque normal é comum e  com o comum todos já estão acostumados. O comum não é interessante nem impressionante.

Pense: quantas pessoas normais fizeram diferença na sua vida?

Agora pense: quantas vezes um louco fez diferença na sua vida?

E o mais importante, quer saber se você é louco?


Pense em quantas vezes você fez diferença na vida de outras pessoas. 

Loucura. Loucura. Loucura cura.

Bárbara Aguiar


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas Resenhas