sexta-feira, 10 de julho de 2015

A Rainha da Fofoca


Desafio Fuxicando Sobre Chick-Lits - Item 12: Ler um chick-lit de uma das divas do gênero: Sophie Kinsella, Meg Cabot ou Marian Keyes. 
Mais informações sobre o desafio aqui!

Título Original: Queen Of Babble
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Tradução: Ana Ban
Ano: 2012
Número de Páginas: 431
Sinopse: Lizzie Nichols tem um problema. Ela não consegue ficar de boca fechada e sempre acaba se metendo em confusão. Mas parece que dessa vez tudo vai dar certo. Assim que pegar o diploma da faculdade, ela poderá embarcar para Londres e curtir as férias ao lado do namorado inglês. Só que as coisas não saem como planejadas. Ela tem uma monografia pela frente, e basta pisar em solo britânico para perceber que o namorado não é exatamente como ela se lembrava... Agora ela está presa em um país estranho com uma passagem que não pode ser trocada nem ressarcida. Mas nem tudo está perdido. Sua melhor amiga, Shari, está no sul da França, ajudando o namorado, Chaz, na organização de casamentos em um castelo do século XVII. Lizzie não hesita e embarca em um trem a caminho do lindíssimo Château Mirac, propriedade de um amigo de Chaz, que, aliás, é um gato. Mas lá, graças a sua incrível habilidade de não fechar a boca, apronta novamente e precisa descobrir um jeito de provar que pode usar sua boca grande para salvar o dia.



Opinião da Bárbara: resenha dela aqui!

Opinião da Jéssica


A minha experiência com "A Rainha da Fofoca" foi ao mesmo tempo decepcionante e divertida. Tudo culpa da minha amiga e parceira Bárbara! Rum! Ela amou esse livro e acho que foi o primeiro chick-lit que ela leu. Disse que riu muito e adorou a história, como podem ver na resenha dela logo acima. Mas gente, eu leio muitos livros desse gênero e dou literalmente gargalhadas em público com eles! O que não aconteceu com "A Rainha da Fofoca"!

Quando a Bárbara me falou que só o começo não era bom eu pensei que eram umas 20 páginas apenas. Mas esse começo HORRÍVEL durou 150 páginas, quase a metade do livro! E não ri em um minuto sequer nesse "começo" por estar com muita raiva de todos os personagens, inclusive a protagonista. Mas, é claro, chega a parte 2 em que uma cena se desenrola num trem e é realmente muito legal e divertida. Claro que não dei gargalhadas, mas assumo que amei essa parte. Enfim, vamos ao que interessa... a história.
Lizzie Nichols é uma mulher nada forte, devo dizer. É uma das protagonistas mais fracas que já vi. Ela conheceu um britânico e começou a namorar ele à distância. Isso faz três meses. Eles só se viram uma única vez e ela decide passar suas férias com ele na Inglaterra. Quando chega lá ela percebe que não conhece tão bem assim seu namorado e muito menos ele a conhece! Até aí tudo bem. Você acha que ela vai se mandar dali na mesma hora. Mas não! Ela fica na casa (que é dos pais dele) enquanto ele continua sendo o maior idiota da face da Terra! Não tive paciência nenhuma para isso. Cadê as personagens fortes dos chick-lits?? Cadê?
Enfim... quando Lizzie "se toca" que esse cara é um babaca bebezão, ela sai de lá e vai para um lugar lindo onde um casal de amigos estão ajudando na organização de um casamento no sul da França. Lá ela tem uma quedinha pelo filho do dono do lindo castelo. Só que ela se mete em uma confusão por causa de sua boca grande. Lizzie tem a mania de se intrometer onde não deve e falar demais (até agora não entendi o que isso tem a ver com fofoca, mas ok). O resto do livro é bem legal. Gostei muuuuuito da sua monografia (a cada capítulo tem uma parte da monografia que ela está fazendo para a faculdade de moda)! E realmente o livro melhorou muito! É claro que não ficou perfeito, pois o erro do começo não pode ser apagado. Mas o final compensa muito!
Eu recomendo "A Rainha da Fofoca" para quem gosta de livros leves e fáceis de ler, mas não para alguém muito crítico. E, por favor, não coloquem muitas expectativas. Sempre que eu coloco eu me decepciono e foi assim com esse livro. Talvez vocês gostem muito dele como a Bárbara gostou se não começar a ler achando que vai rir muito e vai ser um dos melhores chik-lits que já leu. Não cometam o mesmo erro que eu. Essa é uma série de livros e ainda não li os próximos, que devem ser melhores. Já vi pessoas elogiando muito os outros dois livros, então acho que vale a pena. É isso gente! Se você já leu deixe nos comentários o que achou do livro. Espero ser a única que se decepcionou um pouco.

Estrelinhas

Citações Preferidas

"Mas diga a verdade, e toda a natureza e todos os espíritos o ajudarão com incrementos inesperados. Diga a verdade, e todas as coisas vivas ou brutas são prova, e as próprias raízes enterradas do capim parecem se movimentar para lhe prestar testemunho." Ralph Waldo Emerson (1803-1882), ensaísta, poeta e filósofo norte-americano (pág 98, frase de começo de capítulo)

"O homem, o único animal que realmente fala, é o único que precisa de conversa para propagar a espécie. (...) No amor, a conversa tem papel quase maior do que qualquer outra coisa. O amor é o sentimento mais tagarela de todos e consiste, em grande parte, completamente em tagarelice." Robert Musil (1880-1942), escritor austríaco (pág 252, frase de começo de capítulo)

"Mantenha-se em silêncio durante a maior parte do tempo, e fale apenas qando for absolutamente necessário, e, então, seja breve." Epiteto (c. 55-135), filósofo estoico grego (pág 323, frase de começo de capítulo)

"O silêncio é a resposta mais intolerável de todas." Mason Cooley (1927-2002), aforista norte-americano (pág 415, frase de começo de capítulo)

A série A Rainha da Fofoca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas Resenhas